Gillian Gilbert, do New Order, libera: “ainda acho estranho tocar sem Peter Hook”.

new-new-order-stephen-mor-009-768x461

Nascida e criada em Manchester, mais precisamente em 27 de janeiro de 1961, Gillian Gilbert estava destinada a ter uma banda, assim como todo mundo que queria ser alguém legal na cidade inglesa que, não à toa, ficou conhecida como “Madchester”.

A primeira banda de Gillian se chama The Inadequates, nome perfeito para um grupo que achava cool ter uma banda, mas não sabia tocar nada direito.

Em 1978, depois de começar um flerte com Stephen Morris, baterista de outra banda local, uma ~tal de Joy Division, Gillian chegou a subir ao palco para substituir o vocalista e guitarrista Ian Curtis, num show em que ele havia machucado a mão.

Dois anos depois, em 1980, após o suicídio de Curtis, os membros remanescentes do Joy Division a chamaram para tocar com eles numa banda que eles estavam formando. Nascia o New Order. E com eles toda uma nova estética do que seria consumido nas pistas de dança dali em diante. Literalmente, nascia uma nova ordem.

O namorado da adolescência, Stephen Morris, virou marido, com quem Gillian está casada até hoje. Assim como Morris, Gillian se manteve na ativa com o New Order, dividindo-se entre sintetizadores, guitarra e eventuais vocais, sempre com um jeito tímido de moça recatada do interior e visual gótica suave, até que, em 2000, ela deixou a banda para cuidar de uma das filhas, que precisou de sua atenção por problemas de saúde.

Em 2014 ela voltou oficialmente à banda, para as gravações do álbum Music Complete, nono disco do New Order. Lançado em 2015, o álbum trouxe o som característico da banda de volta à pauta, e com isso veio a minha chance de entrevistar Gillian. Uma honra falar com a mulher que imortalizou tantas melodias que até hoje nos fazem tocar air synth ao ouvir Blue Monday, True Faith, Bizarre Love Triangle, The Perfect Kiss, Elegia e tantas outras.

A entrevista completa com Gillian Gilbert você lê acessando o site Music non stop

New Order in 1986

New order; em 1986.

Texto de Claudia Assef extraído do site “Music non stop”

Doc: Joy Division ao Happy Mondays – A história da ‘Factory Records’ .


Documentário de 2007 sobre a ‘Factory records’ de Manchester, destacando o confronto de ideias, os altos e baixos da gravadora, a ascensão e queda do club HACIENDA com depoimentos originais dos integrantes e liderados por Tony Wilson.

Em Inglês.

BBC Four.

Abaixo alguns outros importantes documentários: